segunda-feira, 2 de junho de 2008

PERSONALIDADE - MARTIN LUTHER KING


“É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar. É melhor tentar, ainda que em vão que sentar-se, fazendo nada até o final. Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios, em casa me esconder. Prefiro ser feliz embora louco, que em conformidade viver.” Você sabe de quem são essas palavras? Pois bem... Ele foi um pastor norte-americano, prêmio Nobel, um dos principais líderes do movimento americano pelos direitos civis, e defensor da resistência não-violenta contra a opressão racial. Lutou por um tratamento igualitário e contribuiu para a melhoria da situação da comunidade negra, mediante protestos pacíficos e discursos enérgicos sobre a necessidade de por fim à desigualdade racial. Eu estou falando de ninguém menos que Martin Luther king. King foi um estudioso e suas pesquisas levaram-no a analisar os trabalhos do líder pacifista indiano mahatma Gandhi, cujas idéias se tornaram o núcleo da sua própria filosofia sobre o protesto não-violento. Em 1955, coordenou um boicote aos ônibus de Montgomery, em protesto contra a segregação racial em vigor no transporte público após a prisão de rosa Parks, uma mulher negra que havia se recusado a ceder o seu lugar a uma passageira branca. Durante a ação, que durou 381 dias, king foi preso, a sua casa foi atacada e muitas ameaças foram feitas contra a sua vida. Mesmo assim, foi decretado o fim transporte público segregador! Foi uma vitória do protesto pacifista, e king emergiu como líder altamente respeitado. Os protestos dele eram sempre isentos de violência. Em 1964 recebeu o prêmio Nobel da paz. Martin Luther king continuou sua luta, inclusive tentando acalmar a fúria de negros e brancos, revolucionando sem agressões, até que, em abril de 1968, foi assassinado em Memphis, por um branco que havia escapado da prisão. Ele dizia: "talvez não tenhamos conseguido fazer o melhor, mas lutamos para que o melhor fosse feito. Não somos o que deveríamos ser, não somos o que iremos ser. Mas graças a deus, não somos o que éramos."

Nenhum comentário: